MENU

MEC divulga editais e datas das provas do Enem 2021

Exame terá as provas aplicadas entre 21 e 28 de novembro, nas versões digital e impressa; nota do Enem é usada na seleção de vagas em universidades

às 20h10
Compartilhe:

Depois de um período de expectativa, saiu a confirmação oficial das datas e das regras do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição 2021. O edital que trata do exame foi publicado pelo Diário Oficial da União, em sua edição de quarta-feira, 2. De acordo com o cronograma, as inscrições ficarão abertas entre 30 de junho a 14 de julho, enquanto as provas ficam marcadas para os dias 21 e 28 de novembro. Tais datas valem tanto para a versão impressa do exame quanto para a digital, que serão aplicadas ao mesmo tempo, com as mesmas provas e as mesmas questões. 

Ao todo, serão quatro provas, cada uma com 45 questões objetivas de múltipla escolha, mais a prova de redação. Elas vão abranger as áreas de Matemática, Linguagens e Códigos, Ciências Humanas, Ciências da Natureza, e as respectivas tecnologias de cada área. O tempo de provas será de 5h30 no primeiro dia e de 5h no outro. 

Criado em 1998, o Enem tem a sua nota utilizada desde 2009 como critério de seleção e acesso ao ensino superior, valendo tanto para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu, das instituições públicas), quanto para o Programa Universidade para Todos (ProUni, das instituições privadas). Os candidatos também podem usar a nota para concorrer a bolsas do próprio ProUni ou pedir financiamento através do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Uma novidade deste ano será a oferta de 101.100 inscrições para os primeiros participantes que optarem pelo Enem 2021 Digital, realizado pelo computador e por aplicativos. Elas serão distribuídas por estado e aplicadas nas principais cidades. Para os estados de atuação do Grupo Tiradentes (Sergipe, Alagoas e Pernambuco), serão 1.400 em Aracaju, 1.500 em Maceió, 2 mil no Recife, 500 em Caruaru e 500 em Petrolina. Esta modalidade de exame é exclusiva para os alunos que já concluíram o Ensino Médio ou vão terminá-lo neste ano. Já os “treineiros”, candidatos que fazem o Enem apenas para avaliarem os próprios conhecimentos, terão que escolher o teste impresso. 

Todos os candidatos devem se inscrever através da Página do Participante, no site do Enem. O interessado deve informar sua data de nascimento e seu CPF, o qual terá que ser o mesmo inscrito no cadastro da Receita Federal e não pode estar em situação irregular. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a exigência é porque o CPF é o dado utilizado no cruzamento de informações entre as bases do MEC e da Receita, de modo a evitar fraudes. Também na inscrição, o interessado deve indicar se quer fazer a versão digital ou impressa da prova. Uma vez escolhida a modalidade e concluída a inscrição, ela não pode mais ser trocada. 

Será cobrada uma taxa de inscrição de R$ 85,00. Os pedidos de isenção de taxa já foram apresentados até o dia 28 de maio e terão seus resultados anunciados em 9 de junho. O Inep ressalta que todos os interessados no Enem 2021 devem se inscrever no site, independentemente de terem adquirido a isenção da taxa ou não. 

As gestantes, lactantes e pessoas com deficiência que vão fazer o exame e precisam de algum atendimento especializado como rampas, provas com linguagens de sinais e espaços para amamentação, entre outros recursos, também precisam informar essa necessidade no ato da inscrição, entre 30 de junho e 14 de julho, mas terão os resultados anunciados em 23 de julho. Já os candidatos que tenham nome social e queiram ser tratados por ele devem fazer o pedido após a inscrição, entre os dias 19 e 23 de julho. 

Aqui, você pode conferir os editais completos das edições digital e impressa do Enem 2021

Asscom | Grupo Tiradentes
com informações do MEC

Compartilhe: