MENU

Área de Humanas é um ambiente educativo para a inovação

A faculdade, em especial os cursos da área de Humanas, é o principal ambiente educativo que desenvolve e executa projetos que de inovação

às 21h35
As ciências humanas têm disciplinas que trabalham diferentes contextos de interações humanas, com diversos tipos de abordagem (Ingo Joseph/Pexels)
As ciências humanas têm disciplinas que trabalham diferentes contextos de interações humanas, com diversos tipos de abordagem (Ingo Joseph/Pexels)
Compartilhe:

Segundo o dicionário Michaelis, inovação é “tudo que é novidade, ato ou efeito de inovar, coisas novas”. Partindo dessa definição, é possível encontrar novas possibilidades nas mais diversas áreas do conhecimento, seja na área de Exatas, Biológicas ou de Tecnologia. Mas é possível ter inovação na área de Humanas?

As profissões humanas, como o próprio nome já diz, têm como seu objeto de estudo o ser humano e suas relações sociais. Os cursos superiores de Humanas, como os de Direito, Serviço Social ou Comunicação Social, têm em suas grades curriculares disciplinas que trabalham diferentes contextos de interações humanas, com diversos tipos de abordagem.

Segundo o coordenador do Programa de Pós-graduação em Educação (PPED) da Universidade Tiradentes (Unit Sergipe), professor Cristiano Ferronato, a inovação faz parte da vida do ser humano. “[O ato de inovar] não depende de uma área de conhecimento específica, depende dos processos de transformações que ela proporciona nestes diferentes campos de conhecimento. Na educação, nas práticas sociais, comunicação, econômicas, culturais, na literatura, entre outras tantas”, destaca.

Não é possível identificar quais são as principais áreas, dentro dos cursos de Humanas, que possam ser mais inovadoras. De acordo com a reflexão do professor Ferronato, a inovação vem daqueles que conseguem transformar as práticas sociais. “Neste caso, não podemos destacar uma ou outra. Mas vamos apontar a educação como uma área em que as consequências inovadoras atingem outras áreas, inclusive as exatas”, pontua Ferronato.

A faculdade pode ser um celeiro de inovação, pois trabalha com a tríade educação, pesquisa e extensão. Além disso, é neste ambiente fértil que pessoas com diferentes vivências se agrupam para pensar e refletir sobre as áreas de conhecimento escolhidas. “Todos os espaços educativos e de aprendizagem são espaços para inovar. Estes são potencializados quando possuem programas de formação mais voltados para a autonomia, conhecimento científico e o desenvolvimento humano”, explica o coordenador do PPED.

Para atuarem com inovação dentro dessa área, é essencial que os profissionais desenvolvam algumas características que são estimuladas durante o processo de formação acadêmica. Para o professor Cristiano, é preciso que tenham interesse em “conhecimento das ciências, desenvolvimento do pensamento crítico voltado para observação, diagnóstico, problematização, intervenção e resolução de problemas reais que afetam o desenvolvimento humano”, conclui.

Asscom | Grupo Tiradentes 

Compartilhe: