MENU

Open banking: entenda o que é, como aderir e como cancelar

O sistema financeiro nacional está passando por um processo de evolução, no qual surgiu o open banking

às 14h41
A adesão ao open banking é feita exclusivamente pelos canais digitais das instituições financeiras, como sites e aplicativos de celular (Unsplash)
A adesão ao open banking é feita exclusivamente pelos canais digitais das instituições financeiras, como sites e aplicativos de celular (Unsplash)
Compartilhe:

Desde a segunda quinzena de agosto, os brasileiros podem aderir ao sistema do Banco Central (BC) que permite ao cliente compartilhar seus dados entre instituições financeiras para receber ofertas de produtos e serviços, o chamado open banking. Mas, o que é ele, como aderir e como efetuar o cancelamento?

De acordo com o economista e professor Lucas Sorgato, do Centro Universitário Tiradentes (Unit Alagoas), o sistema financeiro nacional está passando por melhorias e essa mudança, que é fruto dessa evolução, foi dividida em três etapas. “A primeira foi o Pix, a segunda é o open banking e a terceira será disponibilizar que outros aplicativos, a exemplo do Whatsapp ou Instagram, façam pagamentos sem que os consumidores precisem passar por um banco. Essa última fase só será no ano que vem”, frisou.

Entre os benefícios do open banking, está a liberdade do consumidor de escolher qual a melhor instituição financeira para financiar um imóvel ou um veículo, por exemplo. “O que acontece hoje sem ter o open banking? A pessoa está em um banco há 10 anos, paga todas as suas contas, recebe dinheiro, paga um cartão de crédito e etc. Esse banco tem muita informação da pessoa, mas essas informações são do banco. Daí a pessoa quer financiar um carro e, como os outros bancos não têm nenhuma informação dela, eles têm dificuldades em precificar o serviço, ou seja, não têm como ofertar uma taxa de juros melhor do que a que aquele outro banco está oferecendo”, explicou Lucas.

Através do open banking, o consumidor pode, inclusive, escolher a instituição financeira à qual vai recorrer quando precisar pegar um empréstimo. Sem o novo sistema, quando o cliente quer pegar um empréstimo no banco, ele procura a instituição que já tem relacionamento. Mas, na verdade, isso acontece porque ele está preso a esse banco.

“O ponto em estar preso a um banco dificulta que outras instituições ofereçam ao consumidor um melhor preço na questão de empréstimos, assim como a concorrência também não tem como saber se esse cliente é um bom ou mal pagador. Então, o open banking possibilita que todas as informações do consumidor, que antes eram sigilosas no banco, sejam compartilhadas com outras instituições financeiras”, afirmou o professor.

Como aderir?

A adesão ao open banking é feita exclusivamente pelos canais digitais das instituições financeiras, como sites e aplicativos de celular. Não existe aplicativo para download ou site específico para o cadastro, tampouco é preciso assinar documentos em agências bancárias. A opção para aderir ao sistema deverá aparecer na tela do celular, notebook ou tablet quando o cliente acessar os canais digitais da instituição buscando contratar um produto ou serviço financeiro. 

E como cancelar?

O cliente pode cancelar em qualquer tempo o compartilhamento de suas informações entre as instituições financeiras, indiferentemente do prazo que ele tenha estabelecido ao aderir ao sistema. O cancelamento também é feito exclusivamente pela internet, por meio dos canais digitais de qualquer uma das instituições envolvidas no compartilhamento, ou seja, tanto na de origem quanto na de destino dos dados.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: