MENU

Consequências do sedentarismo no dia a dia

A Organização Mundial da Saúde recomenda, pelo menos, de 150 a 300 minutos de atividade física por semana

às 18h40
Compartilhe:

Atualmente, por causa da correria do dia a dia, está cada vez mais difícil manter uma rotina saudável – alimentação equilibrada, prática de exercícios físicos, visitas periódicas e realização de exames médicos etc. Esses hábitos são essenciais para a manutenção da saúde e uma boa qualidade de vida e, não tê-los, pode causar diversos problemas, entre eles, um que chega de maneira silenciosa é o sedentarismo.

O nosso corpo precisa de movimento na quantidade correta e o sedentarismo se caracteriza justamente pela escassez ou falta total desse movimento. A OMS recomenda, pelo menos, de 150 a 300 minutos de atividade física moderada por semana (ou atividade física vigorosa equivalente) para os adultos, e uma média de 60 minutos de atividade física aeróbica moderada por dia para crianças e adolescentes. Tarefas domésticas, subir escadas e pequenas caminhadas são consideradas atividades físicas já que são movimentos corporais que proporcionam gasto de energia.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 47% dos brasileiros são sedentários. A princípio, ficar deitado no sofá por longos períodos parece inofensivo, mas com o passar do tempo, o corpo se acostuma e fica cada vez mais difícil fazer qualquer coisa diferente. A falta de atividades físicas impacta diretamente no gasto calórico diário e na saúde, dessa forma, o sedentarismo traz consequências como aumento de peso e de gordura corporal, dores nas articulações, falta de força muscular e riscos de desenvolver problemas cardiovasculares e doenças como diabetes, hipertensão e, até mesmo, alguns tipos de câncer. 

Além disso, esse estilo de vida também traz consequências psicológicas e pode ser responsável por doenças como ansiedade e depressão, além de comprometer a qualidade do sono, consequentemente, gerando alterações de humor e fadiga extrema.

Compartilhe: