MENU

Conheça as etapas básicas para a elaboração dos aplicativos

O sucesso das plataformas digitais gerou crescimento no mercado brasileiro de desenvolvimento de aplicativos

às 13h06
A criação de aplicativos é um processo que envolve etapas essenciais e que devem ser seguidas para um bom funcionamento da aplicação (Shutterstock)
A criação de aplicativos é um processo que envolve etapas essenciais e que devem ser seguidas para um bom funcionamento da aplicação (Shutterstock)
Compartilhe:

As plataformas digitais estão cada vez mais inseridas no dia a dia da sociedade. E essa inserção, cada vez mais profunda, gera um crescimento no mercado de aplicativos. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – Tecnologia da Informação e Comunicação (PNAD Contínua TIC), realizada em 2018 e divulgada em 2020 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 91% dos brasileiros acessavam a web através dos smartphones entre 2017 e 2018. Já uma pesquisa da Forbes, baseada na análise do App Annie, no primeiro semestre de 2021, mostrou que os brasileiros gastam cerca de 5,4 horas com o uso de aplicativos. 

Para desenvolver bons aplicativos, lidar com a concorrência e reter a atenção do público, algumas etapas devem ser seguidas para que estes cheguem às lojas dos celulares e façam sucesso. “O desenvolvimento de aplicativos é um dos mercados mais promissores da área da tecnologia. Os aplicativos, sobretudo os mobiles, têm crescido bastante nos últimos cinco anos. Só no Brasil, entre 2016 e 2019 houve um aumento no download de aplicativos para dispositivos móveis de 40%. Isso, por si só, já nos demonstra a relevância e magnitude desse mercado”, frisa o professor Jonathan da Silva Bandeira, do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) do Centro Universitário Tiradentes (Unit Pernambuco).  

Jonathan explica que o profissional precisa ter algumas características antes de ingressar na área. “Antes de mais nada, é importante que o desenvolvedor seja criativo, tenha espírito empreendedor e esteja aberto a mudanças constantes e novas tendências emergentes do mercado”, observa. O professor ainda comenta que o processo para desenvolver aplicativos é repleto de etapas.

Defina ideias e resolva problemas

Boas ideias, se baseadas em problemas reais, podem se tornar bons aplicativos. “A primeira coisa que o profissional deve fazer é ter uma boa ideia e logo em seguida adequá-la e direcioná-la à resolução de algum problema relevante ou  necessidade da sociedade atual. Esse problema não precisa ser obrigatoriamente algo complexo, pode ser embasado em algo simples como a necessidade de locomoção das pessoas por grandes distâncias, o que nos remete a aplicativos como Uber e 99, por exemplo”, explica.

Rentabilidade e Público-alvo

Segundo o professor, os aplicativos devem se mostrar minimamente rentáveis comercialmente. “Devem valer o tempo gasto na sua produção e recompensar o custo empregado para sua criação. Por isso, deve ser realizado, pelos envolvidos na produção, um bom estudo de mercado para aferir se todo o trabalho valerá a pena”, destaca, orientando que o próximo passo é “esboçar todo o modelo de negócio que envolve a ideia comercial do aplicativo e fazer alguns rascunhos iniciais que tragam os primeiros vislumbres de como será a interface do aplicativo, sua interação com o cliente, funcionalidades-chaves, etc”.

Validação da ideia

A última etapa antes de iniciar de fato o desenvolvimento do aplicativo é a validação da ideia, que pode ser feita avaliando a concorrência para checar ideias de soluções similares e trazer diferenciais criativos e tecnológicos à sua solução. Segundo Jonathan, “também é relevante angariar feedbacks de grupos seletos como investidores ou patrocinadores e expor um protótipo ao seu público-alvo, ou seja, provar que sua solução funciona e é relevante”. Essa etapa recebe o nome Produto Mínimo Viável (MPV), empregada no desenvolvimento da maioria dos softwares e aplicativos no mercado.

“Após validar o produto, começa todo o processo de desenvolvimento de fato, com a elaboração de requisitos funcionais e não funcionais do projeto, a escolha das tecnologias que serão utilizadas na implementação e a formação das equipes de desenvolvimento e distribuição das tarefas entre os times. É durante o desenvolvimento também que se decide a plataforma ou as plataformas nas quais o aplicativo será lançado”, ressalta o professor.

Lançamento

Antes do lançamento oficial, o aplicativo ainda pode apresentar a determinados usuários versões em desenvolvimento ou funcionalidades específicas disponibilizadas para testes, as chamadas versões beta, que têm o objetivo de realizar ajustes, melhorias e aprimorá-lo para o lançamento final. 

Contudo, como destaca Bandeira, o trabalho pode continuar mesmo após o lançamento do app. “Durante anos o aplicativo mantém uma vida útil, tendo uma equipe direcionada a fazer ajustes e melhorias durante todo esse período e lançando novas versões dele. É o chamado período de manutenção e somente após esse ciclo encerrar que o suporte a determinado aplicativo cessa e o processo realmente acaba”, finaliza.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: