MENU

Ausentes no Enade 2016 devem regularizar situação

Estudantes que não fizeram a prova tem até o dia 31 de janeiro para pedir dispensa da avaliação

às 16h56
Os estudantes habilitados a fazer o Enade 2016, que não compareceram às provas no dia 20 de novembro, têm até o dia 31 de janeiro de 2017 para pedir dispensa da avaliação e regularizar sua situação
Compartilhe:

*Da assessoria do MEC

Os estudantes habilitados a fazer o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) 2016, que não compareceram às provas no dia 20 de novembro, têm até o dia 31 de janeiro de 2017 para pedir dispensa da avaliação e regularizar sua situação.

O pedido deve ser apresentado, com a justificativa da ausência, à instituição de educação superior na qual o estudante está matriculado. Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), dos 216.044 inscritos no Enade 2016, 195.886 (90,66%) participaram do exame, enquanto 20.150 (9,33%) não compareceram às provas.

Em caso de deferimento do pedido, o coordenador do curso registrará a situação no sistema, no portal do Inep. Quem tiver o pedido indeferido pela instituição pode pedir a dispensa diretamente ao Inep, no período de 8 a 22 de fevereiro de 2017. Nesse caso, será preciso apresentar original ou cópia autenticada do documento comprobatório do impedimento para a participação.

Este ano as provas foram aplicadas para concluintes dos cursos de graduação nas áreas de conhecimento de agronomia, biomedicina, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, medicina, medicina veterinária, nutrição, odontologia, serviço social e zootecnia. Também foram avaliados os concluintes de cursos superiores de tecnologia nas áreas de agronegócio, estética e cosmética, gestão ambiental, gestão hospitalar e radiologia.

Questionário – Aqueles que não preencheram o questionário do estudante estão em situação irregular junto ao Enade 2016, mesmo que tenham realizado a prova. O questionário estará disponível para preenchimento até 22 de fevereiro de 2017, no portal do Inep.

Compartilhe: