MENU

Rafael mudou de área para atender procura gigante por profissionais de TI

Conheça a história do engenheiro cartográfico que mudou de área, está cursando ADS na Unit-PE e passou a integrar programa de treinamento para se tornar desenvolvedor back-end

às 17h04
Compartilhe:

A constante revolução tecnológica e a busca por profissionais especializados no universo digital levaram Rafael Lima, 32 anos, a mudar de área e ingressar nesse mercado. Formado em Engenharia Cartográfica, ele está cursando Análise e Desenvolvimento de Sistema (ADS), na Unit-PE, e já foi contratado. Rafael integra o Orange Talents, um programa de treinamento da empresa Zup Inovation, que recruta, treina e acelera o participante de desenvolvedor back-end de júnior a pleno. Ele está bem otimista com o futuro.

Rafael acaba reduzindo as estatísticas sobre a procura futura gigante por profissionais de TI. Tem especialista que fala até em apagão desse pessoal no futuro. Há cerca de 3 anos, havia em torno de 100 mil vagas disponíveis no setor. A expectativa para este ano é que alcance em torno de 200 mil. Em 2024, a previsão é que haja 300 mil vagas em aberto. 

Investimento em inovação

Um incentivo é que as organizações apostam nessa movimentação. Segundo a pesquisa BRAngels/HSM-LearningVillage/FirstCom Cenário Econômico Pós-Vacina, 56% das empresas sinalizaram que ampliarão os investimentos em TI e 25% delas em inovação.

Esse movimento já começou. De acordo com a pesquisa “2021 State of the CIO”, os três principais impulsionadores de negócios para orçamentos de TI neste ano são: transformar os processos de negócios existentes (36%), aumentar as proteções de segurança cibernética (34%) e melhorar a experiência do cliente (33%).

Que é desenvolvedor back-end?

O desenvolvedor back-end é aquele profissional que atua nos bastidores da programação, codificação e teste na máquina. Que cria a comunicação e lógica das informações entre banco de dados e o navegador. Sem essa ponte, o usuário pode clicar um botão, por exemplo, mas o computador não entende e não processa.

Fazendo comparação com a área da construção civil, eles são responsáveis por programar aquelas obras que estão debaixo do chão e ninguém vê como a base do projeto, encanamento e outros. Sem eles, a casa não funciona. Não é verdade? Considerado o pedreiro do futuro, o desenvolvedor é aquele que constrói a conexão de instruções e comandos para que as máquinas façam o que se deseja.

Compartilhe: