MENU

MPB em pauta: saiba como surgiu a sigla que projetou grandes nomes

A partir dos históricos festivais de música dos anos 1960, a MPB projetou uma geração genial de cantores e compositores que até hoje faz diferença

às 14h51
Caetano Veloso foi um dos vencedores do Festival de MPB de 1967, que marcou o surgimento de uma geração influente e marcante de artistas da música brasileira (Reprodução/Agência Alesp)
Caetano Veloso foi um dos vencedores do Festival de MPB de 1967, que marcou o surgimento de uma geração influente e marcante de artistas da música brasileira (Reprodução/Agência Alesp)
Compartilhe:

Uma sigla repleta de significado e que traz consigo o peso de projetar grandes nomes da música nos festivais, que eram febre na década de 1960. Assim é a MPB, Música Popular Brasileira, nascida em 1965, e que abrigou sob seu guarda-chuva uma geração genial de músicos, cantores, cantoras e compositores que até hoje são referência no Brasil e no mundo. 

Ao longo do tempo, a sigla abrangeu diversos movimentos e sonoridades, mas quando se trata da raiz da MPB, a referência direta é a geração projetada a partir de 1965 nos palcos dos tradicionais festivais da canção, que agitavam o Rio de Janeiro e São Paulo. Nomes importantes como os de Chico Buarque, Elis Regina, Edu Lobo, Caetano Veloso, Milton Nascimento, Gal Costa, Maria Bethânia, Tom Zé, Gilberto Gil, o grupo vocal MPB-4, entre tantos outros talentos que surgiram nesta época.

O mais lembrado deles foi o Festival de Música Popular Brasileira de 1967, promovido naquele ano pela TV Record de São Paulo e vencido por “Ponteio”, de Edu Lobo e Marília Medalha, mas que também premiou músicas de Gilberto Gil, Chico Buarque, Caetano Veloso, Roberto Carlos (defendendo uma composição de Luís Carlos Paraná) e do maestro Rogério Duprat, um dos criadores do movimento Tropicália. E outros festivais igualmente marcantes foram promovidos ao longo da década pela Record e por outras emissoras existentes na época, como Excelsior, Tupi e Globo.

Os discos que eternizaram essa produção artística e cultural até hoje ecoam como grandes clássicos da Música Popular Brasileira. Com o passar dos anos, a sigla, no entanto, se transformou e se tornou de certa forma ‘elitista’, onde segundo historiadores e críticos musicais, perdeu o sentido ‘popular’ dos festivais, se tornando assim, um clube fechado, algo para poucos dentro da classe artística.

O grande período de apogeu da MPB se deu na década de 1970, sendo que começou a ser ‘ofuscada’ a partir de 1982, com o sucesso do pop rock nacional, e nas décadas seguintes, com o advento da música sertaneja, do pagode, do funk e de ritmos regionais nordestinos, puros ou misturados aos estrangeiros. Mesmo assim, a MPB manteve seu público e firmou-se como um espaço de qualidade para a música brasileira, com a influência direta dos primeiros talentos no surgimento de novos nomes, como Lenine, Chico César, Céu, Ana Cañas, Roberta Campos, Marcelo Jeneci, Luedji Luna, Silva e Anavitória, entre outros. 

Asscom | Grupo Tiradentes 

Compartilhe: