MENU

Entenda o impacto que o dólar exerce sobre a inflação

Crise atual mostra que a cotação do dólar norte-americano repercute nas altas dos preços de praticamente tudo o que consumimos.

às 18h47
No ano passado, a moeda americana subiu 30% e, desde então, está cotada acima de R$ 5: alta do dólar pressiona o mercado (Unsplash)
No ano passado, a moeda americana subiu 30% e, desde então, está cotada acima de R$ 5: alta do dólar pressiona o mercado (Unsplash)
Compartilhe:

Você pode nem estar pensando em viajar para o exterior no ano que vem, mas não é por isso que o dólar mais caro não está te prejudicando. O fato é que a moeda americana está em tudo que a gente consome, ou seja, na comida, na gasolina que a gente abastece o carro, nos eletrodomésticos que compramos, entre tantos outros itens. Por isso, é importante entender como o dólar impacta a inflação.

A oscilação da moeda norte-americana é constante. Para se ter uma ideia, somente em 2020 o dólar subiu quase 30%, se mantendo em um patamar acima dos R$ 5 durante praticamente o ano inteiro.

“Desta forma, houve um choque no valor dos produtos e serviços. Algo que parecia temporário, acabou se prolongando por meses, e assim, essa alta acabou sendo repassada ao consumidor. Isso ocorre de várias formas, sendo, indiretamente por causa dos custos de produção, e também de forma direta, quando há perdas de produtividade da indústria e aí o preço final do produto sobe, e por fim, quando há desabastecimento do mercado por causa do redirecionamento para exportação”, explica o professor de economia Lucas Sorgato, do Centro Universitário Tiradentes (Unit Alagoas).

Outro exemplo concreto dos impactos do dólar sobre a inflação e o bolso dos consumidores brasileiros é a precificação dos combustíveis. “São muitos fatores considerados na formação de preços dos combustíveis, entre eles o valor exercido pela Petrobras junto às distribuidoras, tributos estaduais e federais, além dos custos de distribuição e com a revenda. Outro fator importante nessa conta, que está cada vez mais alta, é a desvalorização do real que faz com que o preço da gasolina e do diesel suba ainda mais diante da alta do dólar no mercado internacional”, pontua o professor. 

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: