MENU

Conjuntivite: quais os tipos e sintomas?

No geral, ela não deixa sequelas e pode durar até 15 dias

às 13h23
Have an itching eyelid, Asian women in a nightgown and wear purple satin robe rubbing her eye sitting on the gray sofa in the living room at night, A girl in silk nightwear scratch because of itching on the right eyelid
Have an itching eyelid, Asian women in a nightgown and wear purple satin robe rubbing her eye sitting on the gray sofa in the living room at night, A girl in silk nightwear scratch because of itching on the right eyelid
Compartilhe:

Durante o dia a dia, os nossos olhos ficam frequentemente expostos à substâncias presentes no ar e em outros locais, que podem ser levadas até eles pelas mãos ou objetos que entram em contato direto. Algumas dessas substâncias podem trazer doenças, infecções ou inflamações aos olhos, como é o caso da conjuntivite, que nada mais é do que a inflamação da conjuntiva – uma membrana fina e transparente que reveste o interior das pálpebras e a parte da frente do globo ocular. No geral, ela não deixa sequelas e pode durar até 15 dias, atingindo apenas um olho ou os dois. 

Tipos

Existem três tipos mais comuns de conjuntivite, são eles: a conjuntivite bacteriana, viral e alérgica. A bacteriana é a mais recorrente, tendo sua transmissão realizada através do contato direto com superfícies contaminadas e os sintomas mais característicos são secreção amarelada e inchaço das pálpebras.  Já a conjuntivite viral, é a que manifesta sintomas mais leves (como sensibilidade à luz, coceira, secreção mais fina e esbranquiçada) e pode ser transmitida pelos vírus encontrados em espirros ou tosse. Por fim, a alérgica pode se manifestar após o contato com poeira, pêlos de animais ou pólen e não é transmissível como as outras.

Sintomas

Por mais que os tipos de conjuntivite tenham alguns sintomas específicos, os sintomas mais conhecidos são coceira, inchaço das pálpebras, vermelhidão, sensação de areia ou ciscos nos olhos, produção excessiva de lágrimas e sensibilidade à luz.

Tratamento

O tratamento pode ser feito através do uso de colírios específicos prescritos pelo oftalmologista (importante salientar que determinados tipos de colírio podem agravar a doença, por isso a automedicação deve ser evitada), além da lavagem dos olhos com soro fisiológico, uso de compressas com água gelada, evitar a exposição à luz solar e manter cuidados de higiene como lavar as mãos antes e após tocar nos olhos e trocar a toalha de rosto após o uso.

Compartilhe: