MENU

Casa Amarela sedia debate sobre cidadania e inclusão social

Uma oportunidade para debater a respeito da visão da sociedade, sobre a cidadania e a inclusão social e o preconceito contra minorias

às 12h57
A iniciativa ocorreu na última sexta (13), reunindo alunos de Administração, em torno de uma mesa-redonda que contou com a participação do prof. Pedro Procópio, da jornalista Fabiana Moraes, do pesquisador Djalma Thürler e do professor do curso de Direito, João Claudio Carvalho
Compartilhe:

Uma oportunidade para debater a respeito da visão da sociedade, sobre a cidadania e a inclusão social. Assim foi o III Seminário sobre Ética e Preconceito, promovido pela Comissão de Pesquisa e Extensão – COPEX e o Núcleo de Pós-graduação (NUFA), da UNIT.

A iniciativa ocorreu na última sexta (13), na Unidade Casa Amarela, reunindo alunos do curso de Administração, em torno de uma mesa-redonda que contou com a participação do prof. Pedro Procópio, da jornalista Fabiana Moraes, do pesquisador Djalma Thürler e do professor do curso de Direito, João Claudio Carvalho.

No bate-papo, foram abordados temas como ética, racismo, e o preconceito contra minorias, como a população LGBTTT (Lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros).

Um dos assuntos discutidos no encontro, a mudança de sexo, foi tema de uma série de reportagens produzidas em 2011, pela debatedora do evento, e repórter especial do Jornal do Commercio, Fabiana Moraes.

Na época, a jornalista contou a história da cabelereira Joicy, que na época passaria pela cirurgia de mudança de sexo.

Ex-agricultora, a personagem vinha de uma cidade do interior, Alagoinha, vivia em condições precárias, era considerada (sob o olhar arbitrário das definições de gênero) muito “masculina” para uma transexual, tinha uma personalidade difícil.

Ao lado dos fotógrafos Rodrigo Lobo e Hélia Scheppa e do motorista Kennedy Alencar, Fabiana acompanhou e retratou, sem clichês e sem idealizações, a dura rotina de preconceito, sofrimento e esperança da cabeleireira.

A reportagem ganhou a categoria principal do Prêmio Esso de Jornalismo, maior honraria do gênero no Brasil, sendo reunida e publicada em livro com o título O nascimento de Joicy – Transexualidade, jornalismo e os limites entre repórter e personagem e traz o texto original acrescido de dois capítulos inéditos.

Compartilhe: