MENU

Alunos desenvolvem espécie de ifood da saúde

Ainda em elaboração, aplicativo pretende conectar usuários a profissionais como médicos, enfermeiros, psicólogos e cuidadores e seus serviços. Estudantes de ADS fizeram sondagem de mercado e já tiveram retornos favoráveis com versão beta

às 19h31
Compartilhe:

Encontrar um dentista, agendar uma consulta médica, localizar serviços de emergência ou tirar dúvidas nem sempre é fácil quando se faz de forma convencional, como pedir um Ifood, não é? Muitas vezes, o nome chega por meio de indicação ou busca na internet. Certamente você já deve ter pedido sugestão a alguém, nessas horas. Pensando em acabar com a burocracia e facilitar a vida de pessoas que buscam o atendimento de profissionais da Saúde, alunos do 1° período de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Unit-PE estão desenvolvendo o aplicativo Consulta+. 

A solução – em elaboração pelos estudantes André da Costa, Claudio Pessoa, Gleiciane Araújo e Gustavo Pessoa – pretende conectar usuários a médicos, cuidadores, enfermeiros e psicólogos, por exemplo. “O objetivo é facilitar o acesso a profissionais da saúde e o acompanhamento dos pacientes pelos profissionais, podendo o usuário importar seus exames para o profissional visualizar o histórico”, explicou Claudio Pessoa, aluno e um dos desenvolvedores do Consulta+.

Em fase de ideação, o rascunho do aplicativo nasceu a partir da residência oferecida pela Unit-PE em parceria com o Porto Digital – um dos maiores polos tecnológicos do país. No programa Kick-off, o objetivo foi propor um desafio de acordo com a Agenda 2030, projeto idealizado pela ONU. 

O foco do aplicativo é permitir a fácil conexão com qualquer profissional da saúde. Seria como uma espécie de ifood, só que para a saúde. Entre os serviços ofertados, está o agendamento de consultas presenciais ou remotas, gerar relatórios de acompanhamentos de consultas e exames dos pacientes, disponibilizar plataforma de teleatendimento, além das informações básicas como valor da consulta, avaliações e convênios aceitos. “O paciente pode ser atendido por telemedicina, realizar anamneses e ter consulta com psicólogo remotamente”, ressaltou Claudio.

Planejamento

O momento agora é de planejamento e desenvolvimento de design, funcionamento e viabilidade. Com o incentivo do Porto Digital e da faculdade, que ajudaram a equipe a continuar com o trabalho, os alunos já receberam feedbacks positivos de possíveis parceiros na expectativa da versão beta do aplicativo. A vontade agora é entregar um serviço satisfatório, ajudando quem precisa dos serviços, de forma segura e simples.

“Acreditamos que a experiência e o aprendizado em trabalhar em equipe, num projeto com bastante relevância, abriu uma perspectiva para desenvolver a habilidade em trabalhar em conjunto com pessoas que acabamos de conhecer e termos que criar processos e entregas com o valor de propósito de melhoria da nossa sociedade. É tudo que novatos dessa residência poderiam pedir e essas são habilidades que as empresas buscam. Então, é um aprendizado acadêmico, profissional e pessoal”, contou.

Compartilhe: