MENU

A Radiologia atuando no Novembro Azul

Alunos e professores realizaram ações no Complexo de Suape e na Praça de Camaragibe

às 16h35
Compartilhe:

O penúltimo mês do ano já está quase no final, mas nunca é tarde para alertar sobre os riscos do câncer de próstata.

Por isso, alunos e professores da graduação em Radiologia, da Faculdade Integrada de Pernambuco – UNIT organizaram duas ações para esclarecer sobre a importância da prevenção da doença.

As iniciativas ocorreram simultaneamente, no último final de semana, no Complexo Portuário de Suape, e na Praça de Camaragibe, com abordagens e entregas de panfletos informativos, a respeito da faixa etária onde são registrados o maior número de casos, os fatores que desencadeiam a doença e o preconceito a respeito do “exame de toque”.

Segundo o coordenador do curso, professor Carlos Eduardo, as ações tem o intuito de desmistificar e quebrar paradigmas a respeito do câncer de próstata.

“Tivemos boa receptividade por parte de homens que mostraram-se esclarecidos a respeito da doença. Mas ainda existe uma grande parcela daqueles que se mostram receosos quanto ao exame de toque, por achar que vai afetar algo da masculinidade, sendo esse um dos principais meios de diagnosticar a doença”

CÂNCER – Segundo o INCA, no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres. Sua taxa de incidência é cerca de seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.

Este tipo de câncer acomete, em grande parte, homens na terceira idade, uma vez que 75% dos casos ocorrem  a partir dos 65 anos. Ainda segundo o INCA, a elevada incidência no Brasil deve-se, justificadamente, a evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.

Compartilhe: