MENU

A alimentação vegana em alta no país

A mudança na alimentação brasileira fica sob alerta da nutrição

às 12h14
Descrição: hambúrguer vegano, com carne de origem vegetal grelhada e molho natural de tomate e vegetais complementando a iguaria.
Descrição: hambúrguer vegano, com carne de origem vegetal grelhada e molho natural de tomate e vegetais complementando a iguaria.
Compartilhe:

Dados obtidos através de pesquisa do IBOPE apontam que o veganismo no Brasil registra alta. Cerca de 30 milhões de brasileiros já se declaram veganos – pessoas que aderem dieta e uso em geral de produtos isentos de componentes de origem animal, o que corresponde a quase 14% da população total do país.

O professor de nutrição do Centro Universitário Tiradentes – UNIT PE, Ângelo Almeida, afirma que a mudança de hábitos para uma dieta vegana, não oferece risco à saúde, mas alerta para a necessidade de acompanhamento de um profissional da nutrição habilitado para organizar os valores nutricionais essenciais para manter o equilíbrio do organismo. “É preciso suprir todas as necessidades nutricionais para o organismo quando é eliminado da rotina alimentar do indivíduo todos os alimentos de origem animal”, completa.

Para além do consumo de alimentos isentos de exploração animal, existe uma grande oferta de produtos ultraprocessados, em conserva e ricos em agrotóxicos, o que representa uma ameaça à vida saudável inicialmente fantasiada por quem adere a dietas isentas de proteínas animais e demais derivados.

“Adotar uma alimentação vegana não significa saúde. É possível ter uma alimentação vegana rica em alimentos que não necessariamente sejam saudáveis… A dieta vegana pode ser rica em nutrientes, eficaz contra doenças cardíacas, diminui níveis de açúcares no sangue e melhora a função renal, ajuda a diminuir a chance de alguns cânceres e pode diminuir dores de artrite.”

Para os adeptos do veganismo, o aumento no número de veganos representa uma crescente na conscientização da população em geral. O movimento pontua que os ganhos vão desde a queda no consumo de produtos que realizam testagens laboratoriais em animais, a um freio na produção agropecuária que representa mais de 90% da exploração animal no país.

Compartilhe: